132 | Hoje eu tive vontade de desistir

Muitas pessoas acabam se assustando com as minhas expressões de sinceridade (sempre fui assim) e ficam pensando: Como ele pode ser assim? Será que é verdade? O Léo é assim mesmo, tão espontâneo?

Eu nunca tive problemas ou dificuldades com erros e acertos, com sucessos e fracassos, com vitórias ou derrotas, com verdades ou mentiras, sempre assumi as minhas posturas e sempre fui muito franco e sincero com tudo e com todos pois ODEIO mentiras, ou seja, não gosta da minha resposta, então não pergunte! Simples assim.

E mantendo a minha pegada de sinceridade extrema, esse editorial vai soar mais como um desabafo, um pedido de colo, carinho e paciência de todos os meus leitores, em especial daquelas pessoas que tem me enviado mensagens de apoio ou crítica (adora uma crítica pois me faz refletir) e de colegas que amo muito e prezo por suas caminhadas: Denivan, Buenão, Walter Coxim, Lucas Fontes, Vitão, Rogério e outros amigos mais chegados do que irmãos. Gente nova e antiga, amigos novos e antigos, e outros que sequer conheço pessoalmente. Colegas e amigos: intercedam pela minha vida para que eu não recue.

Propositalmente eu não citei o Anísio de Tatuí  (O aniversariante do dia) pois ele já me mandou um palavra muito forte agora cedo: ‘Léo, você faz tudo de corpo e alma, mas não cabe a nós fazer a palavra germinar, uma hora ela vai, e não é função minha ou sua fazer germinar‘.

Eu sei disso e concordo com ele, mas desde ontem bateu um enorme desânimo e o que está vindo na minha mente é o seguinte: ‘Adianta pregar, falar e escrever? Adianta exortar, aconselhar e mostrar o caminho? Adianta continuar a investir meu tempo para ajudar as pessoas a mudarem suas vidas? Tem irmãos e irmãs que nunca mudam…’

E depois de trinta anos, pela primeira vez esse pensamento está tomando força dentro de mim e ele veio forte. É o meu desabafo e pedido de oração: Interceda pela minha vida, pois a vontade hoje é parar com tudo.

Nunca fui de meias palavras e ser sincero e me expor demonstra apenas o quanto sou sincero e genuíno em tudo o que eu faço, e não expõe uma ‘fragilidade ou uma inconstância”, a minha sinceridade apenas deixa claro o meu pedido de socorro e não tenho vergonha alguma de dizer isso: Hoje é o meu dia de pedir socorro.

Não concordo que devemos ‘vender uma imagem’ de super santos ou inabaláveis, isso me soa como mentira e falsidade, uma tremenda hipocrisia, e eu nunca fui assim: hoje é o meu dia de pedir ajuda e socorro. Ore por mim!

Léo Vilhena

Anúncios