108 | Eu vou te contar tudo o que eu não fiz

Existem crianças e crianças. Umas são mais inteligentes do que as outras, algumas são dotadas com mais energias, com uma maior dose de imaginação e outras que até ‘exageram’ na dose de criatividade. Para a nossa alegria, a nossa filha Sarah ‘saiu’ com todas essas características potencializadas por uma dose de honestidade, sinceridade e uma disposição incomum para ‘aprontar todas’.

É impagável ouvir suas ‘explicações e as suas desculpas’ para tentar ‘justificar’ as suas traquinagens pertinentes a toda criança de sua idade (ela tem quatro anos). De pintura na parede à sabão no chão da sacada para escorregar e ela ainda encontra ‘justificativas’: ‘Isso é divertido‘ diz com a maior cara de pau.

Ontem a tarde, a Bia de 1 ano e quatro meses veio chorando e apontando para a Sarah ‘dedurando’ a nova estripulia da irmã mais velha. Eu e minha esposa estávamos na sala e a mamãe do ano perguntou: ‘Sarah, o que você fez com a Bia?’.

Ela colocou as duas mãos na cintura e com um olhar de seriedade disse: ‘Eu vou te contar tudo o que eu não fiz‘.

Olhamos na direção da parede para tentarmos escondermos as gargalhadas. Explodimos numa deliciosa risada.

Passadas as gargalhadas, eu fiquei pensando: ‘Também não fazemos isso com Deus?’

Tentamos achar justificativas e desculpas para os nossos erros, pecados, imperfeições, mazelas e idiossincrasias e ainda queremos que o nosso Pai celestial concorde, acredite e aceite todas as nossas desculpas, mesmo Ele sabendo que estamos contando ‘estórias’.

Como Pai, Ele também deve virar a cara e rir da nossa tentativa de encontrar justificativas para todas as nossas atitudes que não são justificáveis.

Como pais somos tolerantes e amorosos, mas também existem limites para todas as ações de nossos filhos. Com DEUS é igualzinho: as nossas atitudes, ações e pecados tem um limite e vai chegar uma hora que Deus vai dizer, Basta.

Léo Vilhena

Anúncios