A paranoia da baixa autoestima em mulheres lindas

Eu fico impressionado com o ‘poder’ da autoestima baixa (ou nenhuma) em mulheres ‘poderosas’, lindas e cheias de virtudes, que caem na ridícula comparação com as modelos magérrimas, anoréxicas e que são taxadas como padrões de beleza, e pior, apesar de serem lidas são ‘obrigadas’ a fazerem a comparação entre os seus corpos e uma porta dura, fria e sem vida (essas são as modelos anoréxicas).

Me responda sem rir: qual é a diferença entre uma porta e uma modelo anoréxica? NENHUMA! Ambas são finas, achatadas, magras e esqueléticas.

O padrão de beleza é você e o seu corpo.

Não caia nessa bobagem de comparações ridículas e incoerentes e ame o seu corpo do jeito que ele é, está e foi criado por Deus. Não entre nessa paranoia de querer comparar-se às mulheres robotizadas e anoréxicas, pois essa comparação é um acinte e uma afronta à sua natureza.

Eu não sou ligado em novelas – não perco o meu precioso tempo com lixões e bostas da vênus platinada – , mas como jornalista vivo antenado e estou a par dos assuntos do momento, e nessa questão de corpo, a estrela e protagonista feminina da novela das oito da plim-plim é a modelo e atriz paulista Ellen Roche que não tem um padrão (já falei sobre isso) de beleza impostos pela ridícula mídia fantasiosa:

2
Foto da esquerda de Ellen Roche de Janeiro de 2018 e da direita, Novembro de 2016. Ela está ‘acima’ dos padrões (ridículos e anoréxicos) mas mesmo assim é uma estrela e a protagonista de uma novela.

Então, levante a sua estima e aceite o seu corpo como um templo sagrado que é ‘venerado’ pelo seu marido e compreenda de uma vez por todas, que o padrão é você e o seu corpo, não caia na ridícula comparação com modelos que só comem alfafa e um tomate o dia inteiro e são anoréxicas.

Você sabia que a taxa de suicídio de modelos anorexias é superior a 23% e ninguém fala sobre isso?


Alguns sintomas comuns de baixa autoestima são:

  • Incapacidade de confiar em sua própria opinião
  • Sempre pensar demais
  • Medo de enfrentar desafios, preocupação, falta de crença em sua capacidade
  • Dureza com quem está perto (em geral o marido) mas indulgência com os outros
  • Ansiedade frequente e agitação emocional
  • Queimação no estômago e vontade de vomitar quando está preocupada
  • Achar que está gorda, feia e fora dos padrões de beleza
  • Não aceitar andar pelada na frente do marido
  • Fica irritada ao se ver no espelho

 


Quais são as causas da baixa autoestima?

Na maioria das vezes, elas decorrem da infância e de relacionamentos anteriores. Mas o centro da questão é a infância. Experiências negativas precoces que levam a baixa autoestima:

  • Castigos frequentes
  • Negligência frequente
  • Abuso crônico
  • Normas parentais severas
  • Ser intimidado / boicotado
  • Estar na extremidade receptora do stress ou do desespero de alguma outra pessoa
  • Falta de elogios, calor e carinho
  • Permanecer em uma família ou grupo onde outros membros são preconceituosos
  • Permanecer em uma família conflituosa
  • Permanecer numa família problemática

Na infância, formamos nossa base e regras de vida, que afetam a maneira como pensamos e agimos na fase adulta. É por isso que todas as experiências negativas precoces podem ter um efeito muito duradouro na nossa vida adulta.


O que é base, e como ela afeta a sua autoestima

Base é como você geralmente se sente sobre algo, com base em sua experiência inicial. Por exemplo, “a forma como você se sentiu quando saiu de casa pela primeira vez se torna a base emocional para quando você deixar outras coisas em sua vida.”, de acordo com o terapeuta Robert Taibbi. Quando falamos de autoestima, a base é sobre como as pessoas ao seu redor nos tratam, à medida que crescemos ouvindo as pessoas que são importantes para nós. Essas pessoas disseram que você era adorável, ou que não era bom o suficiente? Será que elas te negligenciaram e fizeram você se sentir inútil? Isso afeta em grande parte a maneira como você se vê e, portanto, afeta sua autoestima.


Como a base determina suas regras de vida

De acordo com nossa base, formamos nossas regras de vida, que são as estratégias utilizadas para lidar com a vida. Por exemplo, se você tem a crença de que é sempre inferior aos outros, sua regra da vida provavelmente é “melhor não falar e manter um perfil sossegado”.

Como a baixa autoestima afeta todos os aspectos de sua vida

Faz você confundir amor com baixa autoestima

Tendo uma baixa autoestima, você espera que as pessoas te tratem mal ou acha que as pessoas te tratam mal o tempo inteiro, ou pior, que o seu marido é o seu inimigo ou está em competição com você. Quando as pessoas são muito agradáveis ​​com você, você se sente muito feliz e tem sentimentos irrealistas em relação a elas. Isso pode ser facilmente confundido com amor, e também pode assustar as pessoas que poderiam estar apenas interessadas ​​em serem suas amigas (no início).


Faz você se diminuir em relacionamentos

Como você acha que seu parceiro é muito bom para você, carrega pesos que não deveria. Às vezes, você confunde amor com autoestima. Você está se dedicando porque ama seu parceiro ou porque não ousa falar e negociar? Um marido que reclama o tempo inteiro de sua aparência, vestuário, cheiro e maquiagem, não vai melhorar a sua estima, e vai te causar marcas profundas de autoestima. Ou etão que fica te comparando a outras mulheres dizendo: Olha como ela é linda. Essa é uma relação doentia que vai afundar a sua estima.


 

Libere o seu corpo como o melhor parque de diversões para o seu marido. Pois seu corpo é assim, venerado por ele. Aceite-se como você é. Ele te ama como você é. Você é a modelo dele. Por que ele casou com você? Porque ele te acha linda, acha que você tem um sorriso lindo e por que ele tem veneração pelo seu corpo. Não me reviro aos imbecis que traem a sua esposa. Leia o que eu penso sobre traição clicando Aqui

Aceite você como você é e ame o seu corpo do jeito que ele é. Não aceite comparações com as modelos magérrimas, anoréxicas e que são taxadas pelos ridículos padrões de beleza que levam muitas delas à morte. Elas não são o teu padrão.

O padrão de beleza é você e o seu corpo mulher.

Léo Vilhena
Com informações técnicas da PsiqueWeb
http://www.psiqweb.med.br/

Anúncios

Os comentários estão encerrados.

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: