023 | Paulo e os fracos, loucos e bandidos

Se tem uma coisa que eu aprendi na vida de Paulo, e que não há outros relatos iguais ou sequer parecidos no novo testamento, é que ele sabia ganhar uma pessoa para Jesus. Ele conseguia se ‘infiltrar’ no meio de certos grupos de pessoas que estavam à margem da sociedade romana, gentia e judaica.

Suas estratégias eram loucamente perfeitas:

‘Porque, sendo livre de todos, fiz-me escravo de todos, a fim de ganhar o maior número possível. Procedi, para com os judeus, como judeu, a fim de ganhar os judeus; para os que vivem sob o regime da lei, como se eu mesmo assim vivesse, para ganhar os que vivem debaixo da lei, embora não esteja eu debaixo da lei. Aos sem lei, como se eu mesmo o fosse, não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo, para ganhar os que vivem fora do regime da leiFiz-me fraco para com os fracos, com o fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns.’ 1 Coríntios 9:19-22.
 
Esse era Paulo, que não media esforços para ganhar uma alma para Jesus, o seu Senhor. Era capaz de sendo livre, tornar-se escravo para ganhar aqueles que eram escravizados pelos pecados, pela lei, pela sociedade, pelos familiares…
 
No novo Testamento dois textos nos indicam claramente as duas nacionalidades de Paulo: ele era Cidadão Romano, adquirido o título por seu Pai, e judeu vindo de sua filiação, Hebreu dos Hebreus. Filipenses 3:5 e Atos 22:27. Seus pais eram ricos comerciantes em Tarso na Cilícia da Pisídia, e adquiriu o título de cidadão Romano. Mesmo com todo esse ‘glamour’ e ‘pedigree’, Paulo tornou-se construtor de tendas, para não ser pesado aos irmãos em sua saga ministerial.
 
Paulo tornou um sem Lei, para ganhar os que viviam à margem da Lei, e essa afirmação pode ter duplo sentido, ou seja, ela pode ser literal e Paulo estaria falando daqueles que viviam à margem das leis religiosas Judaicas e Romanas, ou também podemos entender que Paulo estaria se referindo aos que viviam à margem da lei (os bandidos e infratores) pois ele disse nesse texto: Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns.
 
Paulo se fez de fraco para ganhar os que são fracos na fé. Essa afirmação de Paulo me deixa profundamente impactado, pois pelo contexto de todo o texto, podemos presumir que ele se fez de louco, fraco, bandido, judeu, escravo e sem lei. Valia tudo, para Paulo, para ganhar uma vida para Jesus.
 
Mas sabe o que é o mais legal dessa história? Eu tive a honra e o privilégio nos anos 90, de ter conhecido o ‘Paulo’ dos tempos modernos. Ele se chamava Jôsias Amândula e foi o maior discípulo de Paulo. Jôsias vivia, respirava e comia Bíblia e até para imitar Paulo, Jôsias tinha bases bíblicas:
 
Sendo assim, suplico-vos que sejam meus imitadores.’ 1 Coríntios 4:16.
 
Sede meus imitadores, como eu o sou de Cristo! Reverência na adoração‘. 1 Coríntios 11:1.
 
O pastor Jôsias foi uma figura ‘milenar e histórica’ para a minha geração (70, 80 e 90). Com as mesmas estratégias de Paulo, foi com Jôsias que eu aprendi a ser fraco como os fracos, louco como os loucos e valia de tudo para ganhar uma alma para Jesus.
 
Até ameaçar se ‘jogar’ de um prédio em Cristalina – Goiás, só para juntar uma multidão e pregar para o povo daquela cidade (foram mais de 50 almas que se entregaram para Jesus naquela tarde, incluindo bombeiros, policiais e moradores da região); ou então, se fingir de Bandido para simular um assalto em Volta Redonda – Rio de Janeiro, para atrair a atenção dos frequentadores de uma praça pública (foram mais de 100 almas que se entregaram para Jesus naquela noite); ou então, simular um ‘bate-boca’ entre marido e mulher e ele dando um ‘tapa’ na cara dela em Paty dos Alferes – Rio de Janeiro, para chamar atenção de uma multidão que estava num local turístico (foram mais de 30 almas que se entregaram para Jesus naquela tarde); ou então ‘fingir’ que era um drogado em Cuiabá – Mato Grosso, para reunir mais de 50 pessoas que estavam em frente a uma boca de fumo, para falar de Jesus (foram mais de 10 almas que se entregaram para Jesus naquela manhã); ou então, ir numa reunião de traficantes em Avelar – Rio de Janeiro, para dizer que Jesus os amava (foram exatas 3 almas que se entregaram para Jesus naquela tarde); ou se ‘vestir’ de mendigo e entrar numa igreja para falar que devemos ama a todos, isso aconteceu em Campo Grande – Rio de Janeiro e em Campo Grande – Mato Grosso do Sul.
 
Eu já vivi muitas histórias fantásticas e ‘loucas’ para ganhar uma alma para Jesus. Tudo eu aprendi com o ‘Paulo’ dos tempos modernos. Jamais conheci alguém igual ao Jôsias que sabia como ninguém ganhar almas em evangelismo de Massa e de Impacto. Hoje em dia, isso são apenas recordações: Não existem mais pastores assim.
 
Que saudades de Jôsias. Como eu queria ter conhecido Paulo. Mas eu conheço a Jesus!
 
Léo Vilhena
Fiz-me fraco para com os fracos, com o fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns.’ 1 Coríntios 9:22.
Anúncios

Um comentário

Os comentários estão fechados.