Bases Doutrinárias – Sinais e Prodígios

Cremos que Deus, na sua imensa soberania e constituído de todo o seu poder, pode se manifestar, ainda hoje, por meios de sinais e prodígios.

Sinais e prodígios são acontecimentos sobrenaturais, usados por Deus, para confirmar a Palavra pregada, manifestar o Seu poder e a Sua glória, de conformidade com Seus desejos.

No Novo Testamento os sinais relatados ocorreram com os seguintes objetivos:

Marcar a inauguração do ministério terreno de Jesus Cristo;

Servir como avisos escatológicos;

Testemunhar da presença divina nos ministérios de Jesus e dos Apóstolos;

Corroborar o ministério apostólico;

Apontar para Cristo e Seu Evangelho e

Assessorar o ministério de propagação do Evangelho, conforme indicado nas palavras da oração da igreja nascente registradas em Atos 4:30.

Alguns cuidados precisam ser tomados pelos crentes em Jesus Cristo quanto à ocorrência de sinais e prodígios:

Todos os fenômenos ou acontecimentos tidos como sinais devem ser submetidos à apreciação da igreja, que deve considerá-los à luz das Escrituras e, se aprovados, podem ser admitidos como tais, porque há sinais de engano, para poderem confundir à igreja, conforme relata Mateus 24:24. E nem todos os sinais têm origem divina, conforme está descrito em Atos 8:9-13;

Considerem-se os sinais como acontecimentos passageiros e esporádicos, no tempo presente, do Reino já inaugurado em Cristo, que será estabelecido escatologicamente;

Não atribuir aos sinais ou prodígios lugar, valor ou destaque além daqueles que a Palavra lhes dá e nem supervalorizar estes acontecimentos, que são inferiores em comparação, à presença de Cristo no coração do ser humano;

Devemos perceber que nem todos os chamados profetas realizaram sinais, pois nas Escrituras, muitos deles sequer realizaram sinais ou prodígios, como por exemplo João Batista como afirma o texto de João 10:41.

Devemos considerar também que a Igreja não precisa ter a manifestação de sinais como uma necessidade imprescindível para a vida e serviço da igreja, pois o maior de todos os sinais já foi dado, que é a vinda, vida e obra de Jesus Cristo, conforme descreve Mateus 12:38-40;

Devemos fugir do perigo de basear a fé cristã somente em manifestação de sinais e prodígios, pois o único objeto da fé é o Senhor Jesus Cristo.

Embora alguns incrédulos exijam sinais e alguns necessitem deles para serem levados à fé em Deus, a Palavra de Deus nos ensina que são bem-aventurados os que não viram nenhum tipo de sinal ou da presença de Jesus e creram nas Suas maravilhas e em Sua presença, conforme João 20:29 e não devemos nos deixar seduzir pelas ondas de sinais e prodígios deste final de século, pois pode estes acontecimentos e estas manifestações, tomarem o lugar da Palavra e da pessoa de Deus, pois as pessoas podem somente querer ver milagres, mas esquecem do Deus dos milagres.

EXTRAÍDO DO LIVRO ‘BASES DOUTRINÁRIAS’ – Autor: LÉO VILHENA
Esse material faz parte da Tese de Doutorado do autor

cover_front_big
Capa do Livro BASES DOUTRINÁRIAS
Anúncios

Um comentário em “Bases Doutrinárias – Sinais e Prodígios

Os comentários estão encerrados.

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: